Seja você também um filiado da Federação Paranaense de Tênis.

F P TNotícias

FPT
07 de junho de 2021 01:21
FOTO: DOMINFOCUS
Tenista da Semana
Henrique Martin vence em Toledo e começa bem sua estreia na 1º classe do paranaense

Por Diogo Oliveira

Essa semana vamos conhecer um pouco mais sobre Henrique Martin, jovem tenista que tem se destacado nos torneios de classe da FPT.

Henrique Martin que passou anos sendo treinado nas quadras, didvide hoje seu conhecimento com seus alunos.

O atleta chegou a 1º classe e sagrou-se campeao da FPT 250 na HBA em Toledo.

Henrique conta para gente como foi a sua entrada no mundo do tênis?

“Então Dom, Tive o primeiro contato com 4 anos de idade, eu ia junto com meu pai na academia quando ele começou a treinar, então eu ficava ali brincando já com a raquete as bolinhas, não demorou muito meu pai me colocou já escolinha isso com 4 anos ainda, com 6 anos por aí já comecei a participar de torneios da escolinha e desenvolver cada vez mais o interesse, com 8 anos participei do meu primeiro campeonato paranaense, lá em Foz do Iguaçu no Citi Tênis, continuei a competir em torneios internos no clube com adultos, e nos torneios federados no juvenil, por volta dos 16 passei a competir por confraternização e diversão então me voltei mais para os torneios paranaenses de classe, com 18 anos comecei a dar algumas aulas para um amigo no clube que havia pedido, e dali para frente criei um grande interesse em ser professor, meus alunos foram aumentando e meus resultados em torneios de classe também, hoje sou o professor no Cesão Tênis clube, e continuo a participar de torneios de classe da federação.”

O que os torneios da Federação Paranaense de tênis te proporcionam Henrique?

“Acho que o mais legal no torneio de classe, é justamente a confraternização que ele proporciona, de reencontrar amigos, viajar com alunos, com família, e também o lado da motivação, você sempre ter um desafio para continuar tentando melhorar algum aspecto do seu jogo, ou até do seu lado físico, mental, isso reflete diretamente em você melhorar no seu dia a dia dentro e fora das quadras. ”

E como tem sido seu desempenho nos torneios FPT?

“Os últimos 4 torneios FPT que participei fiquei campeão, dois na HBA na 2º classe, um na AGT em Umuarama, e este último na HBA na 1º classe. ”

Falando sobre esse último FPT 250 em Toledo, qual foi seu jogo mais difícil?

“O jogo mais complicado sem dúvida foi da final, o Guilherme Zago é um grande jogador, não à toa que eliminou o Fernando Ristow na semifinal, e já é um atleta consagrado de 1 classe do Paraná, diferente de mim que estou fazendo essa transição da 2º classe para a 1º agora, então sem dúvida foi um grande desafio. ”

O que você achou do nível dos atletas no torneio?

“O torneio teve um nível muito forte, olhando a 1º classe tinham três atletas no top 5 do Paraná, e as demais classes acompanhando os jogos durante o torneio deu para perceber o nível muito bom de todos os jogadores. ”

Henrique como foi a transição de atleta para treinador?

“Cara foi muito importante para meu desenvolvimento dentro do tênis, acho que principalmente no fator de amadurecimento que refletiu diretamente dentro da quadra no meu jogo, e também me fez entender muito mais sobre o esporte, pois tive que me aprofundar, mais e continuo buscando aprender mais para poder passar para os meus alunos, claro que o foco da uma mudada no dia a dia tem menos pique pra estar treinando e menos tempo também, mas tenho muita sorte de ter alguns alunos e amigos que jogam em um nível alto, então quando posso estou batendo junto com eles e eles me ajudam muito.”

Você teve um parceiro de treino conhecido no tênis brasileiro, fale um pouco sobre amizade com Thiago Wild?

“Sim, nós começamos praticamente juntos para falar a verdade, eu tinha meus 4 anos o Thiago tinha 3, o pai dele era professor do meu pai, e quem dava aulas para nós era o professor Adelson que hoje é professor no Yara em Toledo, posteriormente quando ficamos mais velhos treinamos na equipe do competição ainda com o professor Adelson junto mas já com a participação do pai dele o Cláudio Wild, a gente treinou um bom tempo juntos, já viajamos pra torneios da federação, e também já jogamos os jogos da juventude por Marechal juntos como equipe.”

Quer aproveitar para mandar um recado para ele?

“Cara espero que ele volte a conseguir grandes resultados, como ele já conseguiu antes, Thiago sempre foi diferente sempre teve uma bola diferente isso não dá para discutir, acho que ele tem bola para chegar mais longe ainda do que já chegou, tomara que ele consiga ficar bastante, treinar bastante, que ele ainda pode ganhar muita coisa.”

Quem é sua maior inspiração na ATP?

“Cara com certeza quem me inspirou no começo e que a cada torneio ainda inspira é o Rafael Nadal, sempre que consigo tento acompanhar os jogos dele, porque você sempre sai aprendendo algo novo, ou de tênis, ou de superação, para mim ele é um monstro, e por muito tempo quem me motivou muito e que ainda considero foi o Gael Monfils, passava horas vendo os vídeos dele no YouTube, gosto muito até hoje de ver ele jogar também, esses dois coloco no meu pódio haha. ”

Para finalizar Henrique conte-nos quais seus objetivos para 2021?

“Cara participar do máximo que torneios que eu puder, para jogar com o máximo de grandes jogadores que a gente tem hoje aí no Paraná, e evoluir cada vez mais meu jogo, e viajar bastante com o Cesão e com o William, para fazer mais cursos e se especializar cada vez mais para gente atender cada vez melhor o pessoal que queira fazer parte do Cesão Tênis Clube. ”

Até a próxima.

- -
Federação Paranaense de Tênis
Assessoria de Imprensa

imprensa@fpt.com.br
41 3365-2404
41 9764-0333